Seus investimentos

Tipos de Tesouro Direto: entenda a diferença entre os títulos 

Conheça os cinco tipos de Tesouro Direto, entenda as diferenças entre eles e saiba como começar a investir nesse tipo de título público

Você sabia que existem diferentes tipos de Tesouro Direto? Para quem está começando a investir, esse é um ponto que pode gerar dúvidas. Qual, afinal, é melhor deles? 

Neste texto, nós vamos mostrar para você os cinco tipos de Tesouro Direto e explicar como funciona cada um. Assim, você vai poder avaliar por conta própria qual deles combina melhor com os seus objetivos.  

O que é o Tesouro Direto? 

O Tesouro Direto é um programa criado pelo Tesouro Nacional, em que você pode comprar títulos da dívida pública pela internet. Na prática, é como se você estivesse emprestando dinheiro para o governo.  

Todos eles são títulos de renda fixa. O que muda são as opções de remuneração, ou seja, a forma como são calculados os juros. No prazo de vencimento, você resgata o valor que investiu mais os juros que acumulou no período.   

Quais as vantagens do Tesouro Direto  

O Tesouro Direto tem vantagens importantes. A primeira é garantia do governo federal, o que faz com que seja o investimento com menor risco de crédito do país. A segunda é a alta liquidez, que permite que você resgate o dinheiro a qualquer momento, mesmo antes do vencimento.  

Por isso, muita gente acha que ele é uma boa opção para quem está começando a investir. Mas também pode ser vantajoso para outros perfis de investidores. Quer saber qual é o seu? A gente explica como descobrir neste link.  

Tesouro Prefixado: o que é e como funciona  

Tesouro Prefixado é a famosa Letra do Tesouro Nacional, a LTN. Ele é pré-fixado porque tem rentabilidade fixa, ou seja, você sabe na hora que investe o quanto o seu dinheiro vai render no resgate.  

Por isso, esse tipo de investimento em geral é melhor para quem acredita que a taxa pré-fixada será maior que a taxa básica de juros e a inflação no período em que o dinheiro estiver lá. Também faz mais sentido para quem não tem pressa em usar o recurso.  

E o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais? 

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais é um tipo de Tesouro Direto em que você também sabe quanto o seu dinheiro vai render na hora em que investe. A diferença é que, em vez de resgatar tudo no prazo de vencimento, você recebe os juros a cada seis meses.  

O que é e como funciona o Tesouro Selic  

O Tesouro Selic é um tipo de Tesouro Direto que acompanha a Taxa Selic, que é a Taxa Básica de Juros. Ou seja, a remuneração dele é pós-fixada, porque pode variar ao longo do prazo. Isso porque essa taxa é reavaliada pelo governo a cada 45 dias, e pode aumentar ou diminuir várias vezes ao longo do ano.  

Mas, diferentemente dos títulos pré-fixados, você pode resgatar seu investimento do Tesouro Selic sem prejuízos antes do prazo. Se isso acontecer, vai pagar apenas o Imposto de Renda proporcional sobre o rendimento.  

O que é e como funciona o Tesouro IPCA+  

O Tesouro IPCA+ é o tipo de Tesouro Direto que leva em conta o indicador da inflação. Seu rendimento é a soma desse indicador, que é pós-fixado, com os juros reais, que são pré-fixados. Por isso, ele é um investimento híbrido.  

A parte boa de ele levar em conta a inflação é que, caso você invista nele, tem mais chance de garantir o seu poder de compra. Isso porque ele acompanha as variações desse índice, que interfere diretamente no preço de vários produtos.  

E o Tesouro IPCA com Juros Semestrais? 

Tesouro IPCA com Juros Semestrais funciona do mesmo jeito que o IPCA+. O que muda nesse título é que, em vez de resgatar tudo no prazo de vencimento, você recebe os juros a cada seis meses. Isso vale até o fim do prazo, quando você resgata o valor que investiu mais os juros acumulados no último semestre.   

Afinal, qual é o melhor tipo de Tesouro Direto? 

Assim como em qualquer título de investimento, o que é melhor sempre depende do objetivo de quem investe. Cada opção tem suas vantagens e desvantagens, dependendo do que você quer para o seu dinheiro.  

Para começar uma reserva de emergência, por exemplo, o Tesouro Selic pode ser uma opção mais oportuna, já que tem um risco de mercado menor. Ou seja, o preço dele não muda ao longo do investimento.

Já quem pode esperar um pouco mais pode se dar bem com um título como o Tesouro IPCA+. Aqui, é importante observar que, como parte do rendimento acompanha a inflação, ele pode valorizar mais ou menos de acordo com o momento econômico do país no período.  

Como começar a investir no Tesouro Direto  

Investir no Tesouro Direto é simples, e você pode fazer isso de várias formas. Uma delas é consultando o site oficial, onde estão disponíveis todos os tipos de Tesouro Direto que você conheceu neste texto.  

Outra opção é através de corretoras ou plataformas de investimentos. No Agi Investimentos, por exemplo, esses títulos estão entre as mais de 1 mil opções para fazer o seu dinheiro render.  

O app com taxa zero e assessoria grátis está disponível para aparelhos Android e iOS. Para saber mais sobre a plataforma e como ela funciona, é só acessar este link.   

%d blogueiros gostam disto: