Seu negócio

Desenvolvendo uma startup: os quatro estágios de crescimento

Descubra quais são os quatro estágios de crescimento de uma startup e saiba como aproveitar cada um deles para desenvolver o seu projeto

Neste texto, vamos detalhar os quatro estágios de crescimento de uma startup. Você vai entender como funciona cada uma das etapas e aprender a identificar a fase em que o seu projeto se encontra para buscar os melhores resultados.

Por necessitar de capital de risco, o ecossistema de startups deu nomes específicos para cada estágio de desenvolvimento. Isso serve para ajudar quem quer empreender a identificar oportunidades dentro da lógica de cada investidor-anjo, plataforma de investimento, fundo ou aceleradora.   

Mas quais são os quatro estágios de desenvolvimento de uma startup? 

Para começar, é bom você saber que os nomes dessas etapas dizem muito sobre a situação da startup, e vou explicar cada uma delas a seguir.  São elas:

  1. Ideação 
  1. Operação 
  1. Tração 
  1. Escala 

É importante destacar que não existe delimitação clara entre elas – o que realmente faz diferença é a maturidade do negócio. A seguir, vamos detalhar cada uma e ajudar você a identificar em que estágio seu projeto está.

Eu sou o Leo, analista de inovação HypeFlame, que é a empresa de tecnologia do Agi. Durante 12 semanas, vou escrever conteúdos sobre como desenvolver uma startup. Esse texto é o quarto da série. Para ver tudo o que já publicamos sobre o assunto, é só clicar neste link.  

Ideação: o começo de tudo 

No primeiro estágio das startups, não existe muito além de uma ideia e um sonho. Aqui, o desafio é desenvolver um MVP, ou, na tradução da sigla para o português, Mínimo Produto Viável. É ele que você vai testar para avaliar a aceitação do seu produto ou serviço no mercado.

Nessa fase, os investidores mais frequentes são familiares, o próprio empreendedor e sua rede pessoal de contatos. Mas a startup também pode receber o chamado “capital semente”, vindo de investidores-anjos, aceleradoras ou fundos especializados.  

O nome capital semente vem do inglês, dos termos pre-seed e seed (pré-semente e semente). Eles indicam, respectivamente, startups em estágio bem inicial, somente com MVP, e startups que já começaram a validação dos seus produtos com os primeiros clientes.  

A importância dos dados e feedbacks 

Nessa etapa, você deve utilizar os resultados da pesquisa de mercado que realizou a seu favor. Além disso, você pode fazer mais pesquisas para ver como o seu produto ou serviço será recebido. A ideia é colher muitos feedbacks para seguir buscando melhorias. 

Por isso, melhor do que espalhar seus recursos de marketing em múltiplos grupos é focar em quem pode ser convertido em cliente.

Uma boa dica é mapear early adopters, ou seja, pessoas que possam ser convertidas em clientes. Foque em adquirir e nutrir seus primeiros clientes de forma eficaz para crescer sua base durante esse processo. 

Operação: foco total no cliente 

No estágio de operação, o grande objetivo são os clientes. É nessa fase que a startup precisa encontrar a sinergia entre sua proposta e o mercado consumidor (product market fit).  

Isso é o que vai permitir que a ideia se torne de fato um negócio, possibilitando o fechamento de novos contratos e ajudando a definir o melhor modelo de monetização. Também aqui é importante estabelecer processos e segui-los com disciplina.  

Pense que logo seu time vai começar a crescer, talvez duplicar ou triplicar de tamanho. Ou seja, você vai necessitar de uma boa estrutura para sustentar esse crescimento.  

Organize os processos da sua startup de olho no futuro  

Tenha em mente que o único jeito de manter todos na mesma página é criar processos claros. Você precisa ter certeza de que seu time vai receber as instruções corretas, e que seus gestores vão implantar o que você definiu. 

Isso é importante porque, nesse ponto, você tem um pequeno time com múltiplas skills individuais, no qual as responsabilidades não são limitadas aos seus respectivos cargos. Pense que seu negócio é novo e, portanto, precisa de um bom nível de engajamento do time para passar de fase.

Aproveite o momento para definir seu nicho de mercado e criar uma relação com os potenciais clientes. Uma boa forma é testar mensagens sobre proposição de valor, descrição de produto, features e benefícios, por exemplo.  Nesse processo, tente deixar claras as características do seu produto.

Aqui também é importante ouvir o que o seu público-alvo tem a dizer. E, sempre que possível, mostrar a ele como o seu produto ou serviço é único em comparação com outras opções do mercado. 

Faça experimentos e analise os resultados

Outro passo é avaliar a experiência do usuário. Esse é o momento de testar etapas como o processo de vendas e a forma como os clientes irão acessar o seu produto ou serviço. 

Um ponto a ser observado, por exemplo, é como eles navegam no seu site. Isso vai ajudar você a remover pontos de fricção.

Depois que seu negócio engrenou, seus clientes conhecem seu produto ou serviço, seus ganhos aumentaram e suas perdas diminuíram, sua startup está pronta para a tração.   

Tração: sua startup quer chegar lá 

Os últimos dois estágios, tração e escala, ocorrem quase ao mesmo tempo, e dependem um do outro para manter o crescimento da startup. A boa notícia é que essas são duas coisas que as startups estão em busca desde o início — o grande desafio é ganhar escala rápido, por isso a tração é tão importante. 

Nesse estágio, é preciso captar ainda mais clientes e manter o ritmo de crescimento, evitando que os custos para manter a operação ultrapassem os da receita – é possível que você já tenha um faturamento entre e sete dígitos.  

Mas, se você chegou até aqui, significa já teve um lançamento bem-sucedido e tem uma base de dados de usuário cada vez maior. Ou seja, a partir desse ponto, o objetivo é fazer o seu negócio ganhar escala.  

Para isso, não é suficiente entender somente seus clientes, mas também buscar os canais mais apropriados para atrair novos (channel product fit). Pense que seu negócio deve focar em gerar fontes consistentes de receita.  

A maior dificuldade nesse estágio pode ser dividir sua atenção com demandas como ajudar os clientes atuais e continuar desenvolvendo o seu produto ou serviço. Além disso, você precisa gerir o negócio e prestar atenção à concorrência.  

Para levar sua startup para o próximo nível, ela tem que ser eficiente e ter uma estratégia de crescimento validada. Por isso, é importante desenvolver uma cultura forte e focar em um time que seja capaz de contratar pessoas e delegar tarefas.

Escala: o quarto e último nível da sua startup 

Chegamos no quarto e último nível de desenvolvimento de startups, que é quando você sente que está mais seguro. É um sentimento diferente das outras três fases. 

Mas não é porque a sua startup está amadurecida que você deve descansar. Pelo contrário: aqui você deve buscar novas oportunidades para expandir.  

Assim, você vai precisar investir no seu time e buscar novas formas de crescer. Uma boa opção é ter equipes locais para adaptar o seu produto ou serviço a cada lugar.  

Desenvolva, cresça e multiplique 

Agora você tem a oportunidade de expandir internacionalmente. Ou seja, pode aumentar o impacto no seu mercado para ter mais clientes usando seu produto ou serviço.  

Mas essa não é a única possibilidade. Você pode, por exemplo, focar em desenvolver novos produtos para o mercado existente – se preferir, até para algum outro.

Para alguns founders, esse nível de maturidade traz, ainda, oportunidades para venda, fusão ou compra de outras empresas. Se você estiver confiante, aproveite.

Hoje ficamos por aqui, com um exercício para você: quando estiver andando na rua e vir o logo de alguma empresa, tente imaginar em qual estágio ela está e por quê.  

Até a próxima. 

Be epic, 

Leo. 

%d blogueiros gostam disto: