Seu negócio

Como conseguir investimento para a sua startup

Descubra como conseguir investimento para a sua startup e saiba mais sobre como está o mercado desse tipo de negócio no Brasil

Neste texto, vamos mostrar o passo a passo sobre como conseguir investimento para o seu projeto. Além disso, vamos apresentar um panorama do estado atual do mercado de investimento em startups no Brasil. 

Eu sou o Leo, analista de inovação HypeFlame, que é a empresa de tecnologia do Agi. Durante 12 semanas, vou escrever conteúdos sobre como desenvolver uma startup. Esse texto é o oitavo da série. Para ver tudo o que já publicamos sobre o assunto, é só clicar neste link.  

Como está o mercado de startups no Brasil  

As startups ficaram famosas não só por serem ágeis, horizontais e prosperarem após períodos de grande incerteza. Outro fator que atrai a atenção do mercado são as altas cifras que receberam em investimentos nos últimos anos. 

Em conversas sobre o assunto, costumo comentar que começamos a presenciar, de fato, esse movimento no Brasil em 2015. Naquele ano, as startups captaram nada menos do que R$ 721 milhões.  

Sabíamos que esse modelo de negócio era uma tendência, mas não tínhamos noção da magnitude que teria esse movimento. Nem do enorme leque de oportunidades que se originariam a partir dele.  

O mercado amadureceu bastante desde então. Segundo o Inside Venture Capital, relatório da empresa de inovação Distrito, startups brasileiras captaram US$ 5,2 bilhões no primeiro semestre de 2021. Além de ser um recorde, o valor supera em 45% os investimentos de todo o ano de 2020. Se compararmos apenas o primeiro semestre de 2020, a alta é de 299%.  

Startups de saúde e finanças lideram 

Atualmente, startups dos setores de saúde, transportes e finanças lideram em volume de investimentos. Já as líderes em quantidade de startups são as fintechs, as healthtechs e as de inteligência artificial.  

Em geral, a comunidade de startups divide em “classes” os aportes que recebem e as organizações investem nelas. Mas, antes das vultosas injeções de capital que têm virado notícia, uma startup recebe aportes mais modestos.

E geralmente eles vêm de quem busca por projetos com potencial de crescimento, mas que ainda não estão maduros. Vamos conhecer alguns tipos mais à frente. 

Como conseguir investimento para a sua startup 

1º passo: tenha consciência do estágio do seu projeto 

Não é usual que uma grande corporação invista em um projeto em fase de ideação. E é claro que pode ser muito saudável ter um parceiro forte na sua jornada, mas você precisa ter discernimento para avaliar se isso vale a pena.  

Por exemplo, é possível que o seu parceiro acabe transformando o grande projeto da sua vida em somente mais uma nova feature da sua enorme e burocrática estrutura. Assim você perde a chance de crescer e conquistar uma fatia maior de um segmento.  

Para cada realidade, uma proposta. Lembre-se dos quatro estágios de crescimento de uma startup, que já falamos aqui no blog. Depois de reconhecer onde está, vamos falar sobre quem pode ajudar você nessa etapa. 

2º passo: conheça as possibilidades de angariação  

Se a sua startup está em fase de ideação, normalmente quem investe nela são seus amigos e familiares. Eventualmente, incubadoras e investidores-anjo. Mas, como isso funciona? 

Vamos supor que você compartilhe a sua ideia de negócio com seus amigos e a sua família. Eles ficam felizes e perguntam o que você precisa para começar. Você responde, por exemplo, que R$ 10 mil seriam suficientes, e eles ajudam você a dar início ao projeto.  

É importante lembrar que, nesse caso, os seus investidores não validam a viabilidade do seu negócio. Aliás, provavelmente eles não teriam investido se fosse uma pessoa desconhecida contando a mesma ideia. 

Incubadoras, crowdfundings e investidores-anjo 

Outras três possibilidades de conseguir investimento quando a sua ideia está em estágio inicial são as incubadoras, os crowdfundings e os investidores-anjo.  

As incubadoras de startups são especialistas em ajudar projetos em fase de ideação e operação. Elas vão ajudar somente se você estiver em algum desses dois estágios.  

Uma boa incubadora vai trabalhar incansavelmente em pontos que já abordamos em alguns conteúdos, como validação de hipóteses e construção de modelo de negócio. Vai usar bastante Canvas e Sprint, que aliás, são ferramentas que também tratamos aqui, nesse artigo

Já os investidores-anjo são pessoas físicas que investem o próprio capital em startups. É mais comum que eles busquem projetos em operação, por serem um pouco mais tangíveis.

Mas há investidores que são verdadeiros especialistas nos seus nichos. Isso pode fazer com que cogitem investir em soluções que estejam em fase de ideação, já que sabem identificar o seu potencial. 

Por fim, o crowdfunding é uma modalidade de investimento em conjunto na qual um grupo de pessoas contribui com uma “vaquinha”. Geralmente isso é feito através de plataformas digitais.  

Na prática, você apresenta o seu pitch com todas informações do seu projeto, diz quanto precisa para colocá-lo de pé e qual vai ser a recompensa de quem ajudar. Ela pode ser um percentual do seu negócio, ou equity, por exemplo.  

Os investidores aportam o valor que quiserem a partir de um valor mínimo que você define, e adquirem o equity proporcional. Mas é claro que esse tipo de captação também possui seus pontos negativos. Pesquise e pondere antes de tomar qualquer decisão. 

Como funcionam as aceleradoras de startups 

Agora, vamos falar um pouco sobre as aceleradoras de startups. Elas podem ser formadas por um conjunto de investidores ou por especialistas que não possuem, necessariamente, capital próprio investido.  

O aporte de capital das aceleradoras geralmente vem em troca de equity. Mas vai além do dinheiro. Em resumo, o seu projeto recebe feedback e colaboração de especialistas por um determinado tempo, que é chamado ciclo de aceleração e, depois disso, você recebe suporte para questões pontuais.  

Quando o seu projeto estiver mais maduro, você provavelmente poderá contar com a própria rede de conexões da aceleradora para conseguir investimentos maiores. Aliás, é do interesse dela que isso aconteça, pois ela virou sócia do seu projeto quando adquiriu equity. 

Se você já está em um estágio mais amadurecido, como em tração ou escala, seus potenciais investidores podem ser os VCs e CVCs, que são fundos de investimentos. Eles trabalham com venture capital, ou capital de risco, e são focados em empresas de até médio porte com alto potencial de crescimento.  

Aqui, cabe uma observação importante. Startups prontas para receber fundos de investimentos podem ser consideradas com um grau médio/alto de maturidade no nosso ecossistema. Todavia, quando comparadas ao cenário de negócios como um todo, em geral são empresas de baixa maturidade. 

Quanto a sua startup pode conseguir de investimento 

Ok, eu imagino que você pode ter curiosidade sobre aportes e equity, mas esse é um assunto que não costuma ser muito discutido, porque varia bastante. Logo, as informações que virão a seguir servem apenas como baliza, ok? 

Em geral, as aceleradoras possuem um ticket aproximado de R$ 200 mil por um equity médio de 10%. 

Já os anjos tendem a investir um pouco mais, mas a margem varia bastante, entre R$ 50 mil e R$ 900 mil por 5% a 15%. 

Em níveis pré-seed, a estimativa é de R$100 mil até R$ 1 milhão pelos mesmos 5 a 15%, enquanto no seed já vemos algo entre R$ 500 mil e R$ 5 milhões por 10 a 25%. 

No série A, o aporte fica entre R$ 1 milhão a R$ 30 milhões por 15 a 25%, e na série B, R$ 3 milhões a R$ 30 milhões por 20 a 30%. O investimento série C tende a descolar e ser de mais de R$ 40 milhões por 20 a 35%. 

Investimento muda de acordo com a maturidade do projeto 

A variação é grande mesmo, porque depende muito do seu mercado, do seu modelo de negócio e da maturidade da sua empresa. Também influenciam o percentual envolvido na negociação e do seu quadro societário, ou cap table

Sei que falar sobre investimento gera certa empolgação. Por isso, é minha responsabilidade alertar que conseguir investimento não é um motivo só para comemorar.  

Isso significa que você acaba de abraçar o peso enorme de novas responsabilidades e cobrança por resultados, além de ter mais pessoas envolvidas no seu negócio. 

Outras formas de conseguir investimento

Além de ter consciência do estágio do seu projeto e conhecer bem as possibilidades, há dois outros passos importantes para conseguir investimento para a sua startup. Um é a estruturação da narrativa, e o outro é a prospecção, relacionamento com investidores e pitch.  

Trataremos desses dois pontos mais para frente, então não vou dar spoilers. Continue acompanhando os conteúdos semanais que vamos explicar todos os detalhes desse processo. 

Por hoje, ficamos por aqui.  

Be epic, 

Leo. 

%d blogueiros gostam disto: